27 de dez de 2008

Lua Nova...

Oh! Lua Nova...
Auxilie-me a enxergar com os olhos do meu coração
A Luz e a Esperança...
Que eu tenha Fé
Para seguir com coragem o meu caminho.
Que os novos começos que estão por vir
Sejam repletos de doces realizações...
Que quando ao Céu voltares a brilhar
E para mim sorrir, eu esteja renovada,
Assim como sua Luz sempre esta quando retornas.
Que assim seja...
Paz, luz e harmonia!

Marcinha Luna
Verão de 2008

26 de dez de 2008

Festa, alegria!

Pingos a cair, gélidos numa noite abafada de calor sem luar. É festa, alegria. O dia chega, o Sol não brilha, apenas o calor a esquentar. O dia é presente, o futuro não chegou ainda, mas o passado continua a se fazer presente, batendo na porta, tentando violar a alegria presente. Por momentos até consegue, mas dentro de alguns, não de todos, o passado não se faz presente não, e a alegria presente no coração de alguns, não de todos, abre a porta e deixam o passado entrar, são sutis e delicados, e faz com que o passado atravesse a cozinha saindo pela janela e se esvaindo no dia que abafado está. O presente que em segundos se faz futuro apenas ri do passado que se foi! É alegria e festa ainda, a energia positiva vence, no coração de alguns, não de todos!

Marcinha Luna
Manhã de verão 2008

20 de dez de 2008

Yule!


A noite se encomprida...
Torna-se então mais longa.
Nela encontraremos a semente da luz!
Olharemos para frente e visualizaremos
Nada mais nada menos do que um prospero futuro.
Confiaremos em nós... por que somos!
Por que fazemos com que a Magia aconteça!
É festa, é alegria, é amor...
O presente embrulhado é uma
Dádiva, uma sorte a que entregaremos ao próximo!
Embaixo de nossa arvore, verde e reluzente
Eles são abençoados, coroados com a luz
Mágica que pisca-pisca sob uma estrela,
Estrela essa que simboliza Magia e Amor!
Cartões e papeis com dizeres...
E em cada letra um simbolismo
Em cada simbolismo um dizer...
Palavras que parecem soltas pelo ar...
Apenas parecem, por que só o coração pode classificar!
Só o coração pode falar...
E somente o coração pode escutar...
Palavras que são soltas pelo ar!
Viajam pelo vento como sementes
Que na terra se fertilizarão...
Para assim nascer o futuro prospero
Que visualizaremos!
Carinhos e carinhos além que sempre voltam!

Marcinha Luna
noite de primavera 2008
 

14 de dez de 2008

Linhas

Não me encontro mais pendurado no limite do mundo! Estou agora seguindo a linha que o delimita. Tento agora olhar o passado. Não consigo. Queria eu analisar o que foi feito em minhas vidas passadas, tentar corrigir erros. Mas não consigo. Sinto-me trancada, trancada aqui no presente que não existe pois já se passou. Não consigo me lembrar nem do ontem, queria te contar, mas não dá. Queria conseguir me lembrar de momentos lindos e belos, mas não consigo me lembrar nem mesmo dos momentos de grande tristeza. Sei que são muitos, tanto uns como outros. Ai, Ai! Grande vida misteriosa. O que esconde por trás de suas linhas, verticais e horizontais? Escondem amores, desilusões… paixões e ódios… vida e… Por que tu preferes elucidar as coisas aos poucos?! Dê-me seu livro para que eu posso ler pelo menos a parte que cabe a mim, a parte que cabe a minha vida!

Marcinha Luna
noite de Primavera 2008

5 de dez de 2008

Busca...

Cristal achou que tivesse se encontrado - Cristal e sua mania de “achismos”! – ficou triste ao saber que não era bem assim. Pois bem, sua jornada em busca de tudo continua. Leituras, viagens, conversas e discussões, conhecimento é o que Cristal procura. Descobriu-se na beira do mundo, olhando a tudo, menos a si mesmo. Ficou encantada em saber que se pode buscar uma prova coerente de tudo e ao mesmo tempo derrubar a prova feita a poucos minutos – minutos para Cristal pode ser anos – ficou também intrigada ao saber que existem teses defendidas do qual não se pode provar nada – Cristal se encantou por ela – Cristal esta cada vez mais perdida. Contaram a ela que para se dizer algo com coerência se necessita saber a raiz de todas as palavras. Ela “achou” então que deveria ficar de boca calada. Ficou assim por algum tempo.

Marcinha Luna
noite de primavera 2008