7 de mar de 2013

A morte na mídia - 06/03/2013

Ontem eu vi, nas redes sociais, em especifico no Facebook, varias manifestações com relação ao acontecido de ontem, onde uma pessoa da mídia morreu (agora sou neutra, nem gosto, nem des-gosto, por assim dizer).
Muito se falou em amor, em poesia, em inspiração.
Muito se falou em maconheiro, bagunceiro, e até mesmo, traficante ouvi, ou melhor, eu li.
Declarações de pessoas dizendo que amava, outras que odiavam, e outras ainda dizendo que as pessoas viram idolos depois que morrem. Outras ainda se diziam melhores poetas do que o morto.
Isso invadiu meu sentir, quem sabe numa espécie de revolta. E me coloquei a pensar então:

Quem são meus idolos?
O que faço em vida por eles ainda viverem?
Gosto da pessoa por que ela morreu?
Como dar valor á uma pessoa distante, se não conseguimos enxergar nosso próprios "irmãos"?
Como apontar o erro de quem não conhecemos, se não entendemos nossos próprios 'amigos e pareceiros', nossos proprios sentimentos? Porque tal julgamento?
Talvez sejam estas e outras que me deixa doente e carente, da bagunça que vive toda nossa gente...

Ainda é verão, é verão tudo ás claras, só que não!