17 de mai de 2010

Palavras soltas...

Nunca tente entender uma poesia,
apenas sinta!
Há fatos que não devem ser entendidos.
Mas sim, sentidos...
E para tudo há o momento certo,
ou não!

Márcia Alcântara
Outono 2010.

Meditando...

Precisava quietar-me.
Resolvi meditar!
Coloquei uma música suave,
Acendi um incenso, uma vela...
Almofadas coloridas pelo chão.
Um plano de fundo branco
No meu pensamento.

Tudo corria bem!

Mas os pensamentos
Resolveram se rebelar!
De branco foi a vermelho!
De vermelho ao verde, azul...

Descontrole de pensamentos
Num corpo ainda quieto!

Mesmo no descontrole
Ainda ouvia o tom suave
Da música que tocava
Deixando o ar lilás, leve.
Mesmo que o pensamento não
Aquietava-se eu me sentia.

Tudo corria bem,
Mesmo com o descontrole do
Pensamento.

Mas, quando menos esperava,
A chama da vela apagou-se.
O incenso já havia se esvaído!
A música já não mais tocava.
As almofadas, coloridas,
Eram agora preto e branco.
E eu me via, meditando
e já não mais me sentia...

Tudo corria bem,
Mas, agora, os pensamentos
Eram facilmente controlados...

Talvez agora eu estivesse
Começando uma nova vida...

Num corpo ainda quieto,
Com o controle total do pensar!

Márcia Alcântara
Manhã outonizada, 2010