15 de jan de 2013

Rabiscado



Do papel vermelho jogado
Pobre lápis branco perdido
Coração alado voa

Márcia Alcântara
Verão 2013

Da espera (me afoguei)



Esperei muito pelo amor.
Veio como uma forte onda
Que causou dor.
Não! Não responda.

Tu para mim és mudo.
Não escuta o meu sentir.
És falso, e eu, me iludo
Com seu único gesto – o mentir.

É tudo ilusão.
Uma paixão
Que atormenta.

Meditei! Pedi a minha alma
Que tivesse calma.
Foi o tempo o alimento.

Márcia Alcântara
Verão 2013