23 de fev de 2010

Final...?!...

Hoje parei para tentar compreender o que significa Final.
Não sei se há final.
Final um termino.
Final...morte.

Quem me disse que a morte ainda é um final.
Mesmo depois da morte há o que dizer.
De quem morreu os vivos falam.
E no limbo, a caminho do paraíso
É o que dizem que fazem...
Final? O paraíso? Não não...
Cadê então final?

Final...
Um texto no fim.
Uma novela de final feliz.
Final? Um novo texto sobre o que
Se acreditou um dia ter acabado.
Uma ficção que deu lugar a uma nova.
Baseada numa que acabou?
Final? Realmente não posso esperar
Mais por ele!
Não posso acreditar nele!

Hoje parei para tentar compreender o que é final...
E sem entender ou compreender paro aqui,
Para fazer alguma outra coisa...
Que não exija de mim um final...
Esse é só um rascunho, nem a limpo passei...

Márcia Alcântara
ás vesperas do meio de mim, verão 2010

11 de fev de 2010

Branco? Vazio, penso que não!

Faz tempo que aqui eu nada escrevo. Nada digo.
Isso não quer dizer que faz tempo que nada penso.
Talvez seja tudo ao contrário disso.
Talvez eu pense além da conta.


E quem sabe ainda, digo quem sabe, por que eu mesma não sei,
se não é por esse motivo, por pensar muito e além da conta
É que nada consigo escrever?!

Talvez deu Branco, se bem que branco é a soma
de todas as cores.
Um Vazio talvez? Penso que não.
Se já está vazio é porque antes estava cheio.

Márcia Alcantara
Verão de 2010, ás vesperas de começar o final...