24 de mai de 2010

Diante

É diante de um mar de nuvens
A correr o azul do céu
Que me vem tantas letras...

É diante das impossibilidades,
Do meu interior
Que me vem tantas letras...

É diante da realidade
Que fujo para o surreal
E como magia é
Que me vem tantas letras...

Não, não me pergunte,
Como me vem agora tantas letras...
Sei que lá fora a Lua sorri
E eu estou aqui a contar
Tantas letras!

Márcia Alcântara
Outono 2010