25 de mar de 2010

Filosofando: Referência?!

Estive pensando sobre essa palavra, a tal Referência, e não cheguei a conclusão alguma.

Não precisamos de referência para nada. Somos o que somos e fazemos o que queremos e pronto e acabou. Somos responsáveis por nós mesmos e nossas atitudes. Errada ou não, pagamos nós mesmos por nossos feitos.

Hoje vejo que o mundo anda em crise geral, a crise que me refiro aqui é crise de idéias e de saber o que se é ou o que se quer. A cultura é vista por todos como algo do passado e quase ninguém mais consegue ver a arte como algo Belo, sem interesse. Todo mundo quer encontrar algo e que esse algo sirva de alguma coisa.

Ninguém quer saber mais sobre história e pretende ter sempre tudo pronto, sem se dar conta do por que ou de onde vem, se é que vem!
Assim não precisamos de referência para nada e nem em lugar algum. Somos e pronto. Tudo é e se não é dane-se. Será que é bem assim?

Referência! Talvez precisamos tê-la para enxergar o outro. Nem que como alguns defendam que por interesse próprios sobre todas as coisas, digo todas no sentido muito amplo da palavra (amizade, amor, vida) interesse, tudo, tudo esconde interesse.

Se estamos sempre interessados em algo será que não usamos nossos próximos como referência, num sentido figurado, porém muito real, passar por cima do que nos referenciou?
Enfim somos o que somos por que somos, mas queremos sempre algo a mais num sentido de competição, disputa e para isso se faz necessário uma referência: o Outro. E para nosso viver a história antiga não vale nada? De onde viemos e para onde vamos? São perguntas que parece não incomodar a muitos. Será que estes vivem privados de referência?
Será que queremos ser sempre os melhores para nós mesmos ou para nossa referência?

Termino sem conclusão!
Márcia Alcântara
outono de 2010