21 de set de 2011

Um Poema sobre a Arvore

Tu tão pequenina lançada na terra.

Lançada por um passarinho
Ou talvez ainda por uma rajada de vento.
Em um espaço tão imenso…

... Sozinha, escondida
Sentia o calor do Sol
As gotas de chuva.
Percebia o dia e a noite.
Ansiosa, crescia e crescia…
Conseguia admirar o dia
Percebia a energia do Luar!

Crescia e Crescia…
Começava a despontar.
Ser o que antes não era…
Ou que era não visível,
Agora visível…

Crescia e crescia…
Agora já adulta
Adubada pelo carinho
da terra,
Floresce e floresce…
Nos abençoa com vossos
Frutos doces…
Com suas flores coloridas…
nos presenteia com um
perfume intenso, delicioso.
Enche-nos os olhos
Com vossa majestosa
Beleza…

Ah! Quanta coisa
Tens a me contar…
Tanto durante o dia,
Quando me esconde do Sol
Quanto durante a noite de intenso luar.
Ah! quanta energia tens a me doar!

Grande és tu
Oh! Magnífica
Suas folhas e sua copa
Verdes a Brilhar
No Sol ou nas noites, com
Ou sem Luar!
Graça por vossa existência
Mãe Árvore a ti quero homenagear!


Marcia Alcantara
Dia da Arvore de 2009, mas tão original quanto hoje, mesmo dia de 2011