2 de mar de 2011

Sem título, por favor

Dizem que não é o dever de ninguém questionar a todas as coisas já ditas, realizadas... mas, de que adianta uma organização que não respeita a nada e nem a ninguém a não ser, talvez os seus próprios discípulos? E o pior é que cabe a todas as organizações.

Quem sabe se lá no fundo, estes mesmos não sejam, por baixo de panos escuros, escritas mentirosas e mau interpretadas, ou quem sabe ainda de discursos falsos e inescrupulosos , humilhados e desprovidos de sua dignidade?

Ainda me pergunto o significado de algumas palavras, não sei se palavras chaves, mas que de uma certa maneira andam me aporrinhando e chateando minha estadia aqui, que nem sei por que aqui vim, são elas: religião, política, filosofia, sabedoria, amor e uma que desencadeou todas estas ao meu modo de ver: ALELUIA.

Aleluia é o que mesmo? Responda quem a tudo sabe!
É estar aqui, alegre ao ver esta igualdade e este excesso de harmonia e de liberdade de expressão? Risos... sim sou obrigada a rir, por que daqui, do lugar que me deram para assistir o espetáculo, não consigo ver nada dessa ALELUIA toda.

Consigo ver apenas uma escuridão, que inebria os fracos, e que a mim cheira a mentira e a arrogância, sinto muito se parece que este não tenha odor, mas tem e garanto a quem acreditar que não é um odor nada agradável... enquanto para outros ela aprece ser uma saída para onde quem foi nunca voltou para dizer se é bom. E se voltou... não se lembra.

É tão bom viver o agora... pena que nem todos saibam, e pairam pelo ar á escrever apenas o outrora, o futuro... esquecem do que foi o passado, ou ainda, comparam o presente com o passado, mas esquecem de aplicar a correção do ontem ao hoje. Vivem da mesma forma, da mesma maneira, e ainda se dizem mais evoluídos e pensantes, criticando o outro do qual se espelha para viver.

É uma pena, ou não, afinal a verdade não é propriedade de nada, de ninguém... mas fazem dela o lugar onde escondem a própria mentira...

Márcia Alcântara
Dia frio do verão de 2011

Obs: hoje não vi nenhum passarinho.
Obss: não parou de garoar um só minuto.
Obsss: o Sol apareceu mas não estava totalmente redondo.
Obssss: será que o Sol, assim como a Lua, também míngua?